Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

My Books News

My Books News

Lidos em 2019

Janeiro

1. Becoming - Michelle Obama [Audiolivro] WWW

2. Blad Blood - John Carreyrou [Audiolivro] WWW

3. O feiticeiro de Terramar - Ursula K. Le Guin E

4. Caniços ao vento - Grazia Deledda [#NobelWomen] B

5. Lavínia - Ursula K. Le Guin B

6. Alegria! Guia Ilustrado da Arte de Arrumar a Sua Casa e a Sua Vida, Marie Kondo

7. An Unconditional Freedom, Alyssa Cole WWW

8. O Misterioso Caso de Styles, (Hercule Poirot #1), Agatha Christie

9. Vasto Mar de Sargaços, Jean Rhys E

10. Fortaleza Digital, Dan Brown  E

11. História de um cão chamado Leal, Luis Sepúlveda  E

 

Fevereiro

12. 10 Segredos para Ser Seduzida por um Lorde, Sarah MacLean

13. A independência de uma mulher, Colleen McCullough B

14. Magnífica Sophy, Georgette Heyer B

15. Foco, Daniel Goleman B

 

Março

16. Manual para mulheres de limpeza, Lucia Berlin B

17. Admirável mundo novo, Aldous Huxley [releitura] B

18. Living the Simply Luxurious Life, Shannon Ables WWW

19. The Admiral's Penniless Bride, Carla Kelly  E

20. Thrifty Living: Frugal Tips for Living on Less, Valerie Fulton WWW

21/23. Saga, Vols. 1-3, Brian K. Vaughan e Fiona Staples [releitura]   E

24. Ecologia, Joana Bértholo B

25. A gente de July, Nadine Gordimer [#NobelWomen] B

26. O Cisne Negro, Phyllis A. Whitney   E

 

Abril

27/28. A cantora dos dragões 1/2, Anne McCaffrey  E

29. Os tambores dos dragões, Anne McCaffrey  E

30. Help Me! - Marianne Power  WWW

31. O passado é um país estrangeiro - Ali Smith  B

32. Beloved - Toni Morrison [#NobelWomen]  E

33. The missing girl, Shirley Jackson [contos]  E

 

Maio

34/35. O dragão branco 1/2, Anne McCaffrey  E

36. A sedução de Sophie ,  Kim Lawrence  E

 

Junho

37. A Proper Scandal, Esther Hatch WWW

38. A Coroa (Cristina Lavransdatter #1),  Sigrid Undset [#NobelWomen]   B

39. The mistress of Husaby (Cristina Lavransdatter #2),  Sigrid Undset [#NobelWomen]   E

40. A Cruz (Cristina Lavransdatter #3),  Sigrid Undset [#NobelWomen]   B

Kristin Lavransdatter - Sigrid Undset

IMG_20190613_092644_152.jpg

Hoje, madrugada dentro, terminei a trilogia de Kristin Lavransdatter (Coroa, Esposa, Cruz), de Sigrid Undset (1882-1949), a segunda mulher a vencer o prémio Nobel da Literatura (1928).

Não tenho qualquer vergonha em dizer que foi em lágrimas que me fui despedindo de cada uma das personagens que acompanhei durante mais de 1200 páginas.

 

A trilogia de Kristin Lavransdatter é uma das mais magníficas obras literárias que já li. Pareceu-me que estava a combinar num só, duas séries igualmente magníficas: Gilead de Marilynne Robinson e Wolf Hall de Hilary Mantel.

 

A história de Kristin Lavransdatter é também a dos inícios do séc. XIV em que a Noruega e Suécia viviam tempos conturbados de disputas entre aristocratas, pelo poder de dois reinos, que ou tinham reis menores ou que morriam sem descendentes. Tempos de grande poder da Igreja Católica no dia-a-dia de todos, mas também de povos que nos piores momentos das suas vidas, recorriam às religiões pagãs dos seus antepassados.

 

A trilogia começa com Kristin Lavransdatter com 7 anos, filha única de um casal de senhores feudais, que é adorada pelo pai e que vive uma relação conturbada com a mãe, que dela tem ciúmes da relação dos dois. Ainda em criança é acordado o seu casamento com Simão, um jovem que o pai considerou um bom partido, mas esta apaixona-se por outro homem e tudo faz para casar com este, questionando todo um sistema de valores patriarcais e clericais.

 

Aliás, a componente religiosa e moral é fortíssima em Kristin Lavransdatter, fruto da conversão de Sifrig Undset à Igreja Católica em 1924, com 42 anos.

 

Durante mais dois volumes, acompanhamos a vida de Kristin Lavransdatter, do seu marido, filhos e um incrível leque de personagens ricas e construídas minuciosamente, página a página. É impossível não nos apaixonar-mos por elas.

 

É lamentável que não haja mais que uma edição portuguesa esgotada e em depósitos de bibliotecas, muitas que não permitem leituras domiciliares desses volumes.

 

Pelas minhas contas, a autora entrou no domínio público em 2019. Espero que isso leve as editoras a republicá-la. Eu não hesitaria em comprar.

Livros de Abril

Com a excepção de terminar Uma Antologia Improvável, porque não me foi possível voltar à biblioteca, consegui ler/terminar/iniciar os livros que desejava ler este mês.

 

 

De Anne McCaffrey e a sua série de ficção científica/fantasia Dragonriders of Pern, li A Cantora dos Dragões (1 e 2) e Os tambores dos dragões.

A Cantora dos Dragrões é a pequena Menolly que agora foi admitida ao conservatório dos harpistas, juntamente com os seus 9 pequenos, mas vorazes dragões de fogo. Mais uma personagem feminina forte e centro de muitas aventuras. Menos bem esteve a autora ao cair na habitual retratação de grupos de rapazes que partilham aventuras e grupos de raparigas rivais, más (por razão nenhuma) e invejosas.

 

Os tambores dos dragões são uma forma de comunicação à distância, no mundo de Pern. Nesta continuação da história, ainda no conservatório dos harpitas, seguimos  Piemur, um dos fieis amigos de Menolly que é o rei do desenrascanço e da chico-espertice.

 

A série Dragonriders of Pern está a encher-me as medidas.

 

Capturar.JPG

 

 

Porque Abril é o mês dos contos ( #abrilcontosmil), além dos que fui lendo na internet, e indicando nas curtas literárias, li também um mini livro com três maravilhosos, estranhos e sempre surpreendentes contos de Shirley Jackson: The missing girl, Journey with a lady e Nightmare.

 

Capturar.JPG

Em 25.04.1974, Natália Correia começou um diário. Em 25.04.2019, 45 anos depois eu comecei a ler Não Percas a Rosa / Ó Liberdade, Brancura do Relâmpago.

O livro encontra-se dividido entre o diário e crónicas da autora, respeitantes ao mesmo período. A minha ideia é cronologicamente, fazendo coincidir os dias de publicação e de calendário. Falta saber se aguento a espera.

 

Uma coisa é certa. O livro é um colosso. Não só tem 700 páginas, como ainda preciso de um dicionário para interpretar o sentido de muitas das frases.

 

 

Também li:

Beloved - Toni Morrinson

Help Me! de Marianne Power [#netgalley]

O Passado é um País Estrangeiro, de Ali Smith [biblioteca pública]

 

Apanhei-me sem um livro à mão e comecei a ler no telemóvel Why I'm No Longer Talking to White People About Race, da jornalista Reni Eddo-Lodge. Bendita NetGalley!