Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

My Books News

My Books News

A importância das bibliotecas escolares

ali-yahya-782497-unsplash.jpg

Photo by Ali Yahya on Unsplash

 

 

As bibliotecas escolares são, para mim, um programa fundamental numa democracia que se quer inclusiva para todos. Onde, senão numa biblioteca escolar, pode a generalidade das criança mais desfavorecidas aceder a livros?

 

Porém, a generalização das bibliotecas escolares parece ser mais uma ficção destinada a estatísticas num relatório, que para o real uso pelas crianças.

 

Ofereço dois exemplos reais, que são gritantes nas evidências de como as bibliotecas escolares são um recurso simultaneamente esquecido e (mal) instrumentalizado pelas escolas:

 

1.

A biblioteca da escola primária consiste num armário fechado à chave. Este, só é aberto quando a professora responsável pelas bibliotecas escolares (do agrupamento), visita a escola primária e permite o acesso aos livros.

Note-se que eu não tenho problema algum com o armário. Eu já utilizei uma biblioteca, numa aula de português, que consistia num caixote onde tínhamos os livros que podíamos requisitar.

O que questiono é o sistema que torna necessário que uma professora, externa à escola, tenha de se deslocar para abrir um armário e permitir que os alunos leiam os livros.

 

2.

A biblioteca da escola profissional está quase sempre fechada. O seu uso está praticamente reduzido a reuniões entre professores.

Mas quando fazem os seus relatórios, podem ter a certeza de que é um recurso que alegam ter para os alunos. E claro, na página institucional dessa escola há uma fotografia muito bonita da biblioteca.

 

Para mim, as bibliotecas escolares são essenciais na formação de leitores. Não existe nada mais contagiante do que o amor por um livro, a "publicidade" boca-a-boca, a leitura por prazer. Por isso, ver estes recursos não serem aproveitados na sua potencialidade, parece-me verdadeiramente criminoso.

Arrumar ou não arrumar, eis a questão

O único problema da minha biblioteca preferida que também é, por sinal, a melhor biblioteca do mundo (até prova em contrário) é que existem muitos livros fora do seu local. 

Ou seja, há imensa gentinha a pousar os livros no fim da prateleira é mais prático do recolocar de onde se tirou ou colocar no carrinho de devoluções. 

Frequentemente, apanho-me a arrumar livros. No mínimo, deixo sempre a prateleira onde estive a ver livros (sou apologista do princípio: grão a grão...) arrumada, com cada livro no local da sua cota. 

Mas hoje, à procura de algo, encontrei demasiados livros fora do sítio, não só fora da cota, mas fora da letra e até do género literário.

Arrumei os que estavam apenas fora da cota e os restantes fui entregar ao carrinho de depósitos, depois de ter falado com o bibliotecário. 

Sinceramente, considerei que também me caberia a função de alertar para o problema.

O que costumam fazer quando constatam que há livros fora do sítio? Gostaria de saber a vossa opinião. 


P.S. Muito trabalho = Pouco tempo de lazer = Menos leituras