Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

My Books News

My Books News

Stoner - John Williams

 


 


O que mais me surpreendeu e impressionou no Stoner de John Williamns foi a escrita pura, limpa de afectações. A forma brilhante como ilumina o banal, julgo que é o que torna este romance grande.



Stoner é o nome do protagonista principal, um professor universitário obscuro, que que poucos se lembraram depois da morte. Aliás, é assim que começa o livro, com uma espécie de obituário.



... poucos alunos se lembravam de Stoner com nitidez, depois de terem terminado os cursos.


Os colegas de Stoner, que não lhe tinham uma estima por aí além quando era vivo, raramente falam dele agora


 



Seguimos a vida de Stoner desde o dia em que nasce até ao momento da sua morte (que aliás é descrito de forma genial) numa tristeza melancólica do homem comum, incapaz de se impor para se defender de ataques palacianos na universidade, de defender o seu casamento, o seu amor ou a sua filha. No fundo Stoner amava a universidade mais que qualquer outra coisa e por isso, foi um mau marido, amante e pai, embora apenas o tenha sido apenas por inércia.


 


No fundo, o seu grande amor é a universidade, é aí que exterioriza a sua paixão, defendendo a integridade da universidade (do mundo), mesmo sabendo que sofrerá as consequências.


 


Julian Barnes (escritor) descreve o romance como tendo uma "tristeza latejante". É a tristeza do dia a dia de uma potencial vida não vivida.


 



Agora, na meia-idade, começava a perceber que (o amor) não era nem um estado de graça, nem uma ilusão; via-o como um ato humano de transformação, uma condição que era inventada e alterada de momento para momento e de dia para dia, através da vontade, da inteligência e do coração. 


 



É um livro magnífico que recomendo a todas/os.

1 comentário

Comentar post