Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

My Books News

My Books News

Sensibilidade e bom senso - Jane Austen

3.PNG 


 


 A releitura do Sensibilidade e bom senso de Jane Austen foi determinada pelo Clube dos Clássicos Vivos. Não me recordo das minhas impressões da primeira leitura, mas tambem não costumo prender-me a elas. descobri há muito que crescemos e a leitura que fazemos dos livros e da vida, crescem connosco.


 


A obra centra-se na vida de duas irmãs, numa Inglaterra do séc.XIX, cujo cenário principal alterna entre o campo bucólico e os salões de festas. Do principio ao fim, não temos muito mais que algumas caricaturas sociais e uma trama centrada na finalidade das mulheres da época - casarem. 


Marianne é a jovem de 16 anos que almeja um amor verdadeiro e ardente; deseja viver intensamente e honestamente prega as suas convicções  - de adolescente - a quem a quer (ou não) ouvir. Elinor é a mais velha e sensata, cujas paixões esconde; muito sofrida e muito elevada em sentimentos. O paralelo no masculino faz-se no safado do Willoughby e no sofrido Coronel Brandon. 


 


Este Sensibilidade e bom senso não tem o brilho de Orgulho e Preconceito. Falta-lhe qualquer coisa que não consigo identificar. Mas não posso deixar de fazer o paralelo entre Elizabeth e Elinor e, entre as duas, a primeira é superior.  


 


Outra coisa que me condicionou a leitura foi o filme. É impossível não estar, constantemente, a comparar as duas versões da obra. 


 


Confesso que continuo a preferir Elizabeth Gaskell, outra inglesa do período vitoriano, mas com uma contemporaneidade muito maior sobre o papel das mulheres e até sobre condições laborais em fábricas. Por falar nisso, impõe-se uma releitura de Norte e Sul.