Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

My Books News

My Books News

Manual para mulheres de limpeza, de Lucia Berlin

Já me sinto melhor.

No primeiro fim-de-semana de Março, não só terminei o Manual para mulheres de limpeza, da Lucia Berlin, como reli o Admirável mundo Novo, de Aldous Huxley (Clube dos Clássicos Vivos).

 

Capturar.JPG

“I exaggerate a lot and I get fiction and reality mixed up, but I don't actually ever lie.”
 

Manual para mulheres de limpeza, de Lucia Berlin é dos melhores livros que li. Ponto final.

 

Comecei a ler pela própria, saltando introduções e notas biográficas, que li no final. Foi realmente a melhor opção e recomendo o mesmo.

A autora mistura a dura realidade da sua vida, injecta-a de apontamentos de ficção e o resultado é uma escrita com humor, ironia, realidade e até brutalidade.

 

Nos vários contos, vamos sendo confrontados com toxicodependência, alcoolismo, pobreza, detenção, crueldade, amor, violência, abusos sexuais, resiliência, solidão.

É impossível ficar indiferente. Cada conto é um universo, negro nos contornos, mas vivido de forma apaixonada, inusitada e até chocante.

 

No final, fica-se com Lucia Berlin no coração.

 

“Time stops when someone dies. Of course it stops for them, maybe, but for the mourners time runs amok. Death comes too soon. It forgets the tides, the days growing longer and shorter, the moon. It rips up the calendar. You aren't at your desk or on the subway or fixing dinner for the children. You're reading People in a surgery waiting room, or shivering outside on a balcony smoking all night long. You stare into space, sitting in your childhood bedroom with the lobe on the desk... The bad part is that when you return to your ordinary life all the routines, the marks of the day, seem like senseless lies. All is suspect, a trick to lull us, rock us back into the placid relentlessness of time.”

 

Livro no meu radar:

Anoitecer no Paraíso, de Lucia Berlin 

Capturar.JPG

2 comentários

Comentar post