Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

My Books News

My Books News

Listas para um ano de escritoras

Tenho uma colectânea de 30 livros que se chama "clássicos da literatura universal". Zero escritoras. Será mesmo assim? Não existe representação feminina nos clássicos? 


 


I) 


O jornal Guardian reuniu uma lista de 50 obras, por escritoras, que remontam a 1640, muito europeia e anglo-saxónica. 



1. Aphra Behn: Orinooko (1668)


2. Mary Pix, Catherine Trotter and Delariviere Manley: The Female Wits (1696)


3. Mary Wortley Montagu: Letters and poems (c1720)


4. Mary Scott: The Female Advocate (1774)


5. Fanny Burney: Evalina (1778)


6. Hannah More: Sacred Dramas (1782)


7. Dorothy Wordsworth: Grasmere Journal (c. 1790)


8. Mary Wollstonecraft: A Vindication of the Rights of Women (1792)


9. Maria Edgeworth; Castle Rackrent (1800)


10. Mary Hays: Female Biography (1803)


11. Jane Austen: Emma (1815)


12. Mary Shelley: Frankenstein (1818)


13 Fanny Trollope: The Domestic Manners of the Americans (1832)


14. Emily, Anne and Charlotte Brontë: Jane Eyre; Wuthering Heights; The Tenant of Wildfell Hall (1847-48)


15. Elizabeth Gaskell: North and South (1854)


16. Mrs Beeton: Book of Household Management (1861)


17. Charlotte M Yonge: Biographies of Good Women (1862)


18. Louisa May Alcott: Little Women (1868)


19. Emily Dickinson: Poems (c1870)


20. George Eliot: Middlemarch (1871)


21. Beatrix Potter: The Tale of Peter Rabbit (1902)


22. Baroness Orczy: The Scarlet Pimpernel (1903)


23. E Nesbit: The Railway Children (1906)


24. Katherine Mansfield: In A German Pension (1911)


25. Rebecca West: The Return of The Soldier (1918)


26. Dorothy Parker (c1920-1935)


27. Agatha Christie: The Mysterious Affair At Styles (1920)


28. Ivy Compton Burnett: Pastors and Masters (1925)


29. Virginia Woolf: A Room of One's Own (1929)


30. Antonia White: Frost in May (1933)


31. Daphne du Maurier: Rebecca (1938)


32. Christina Stead: The Man Who Loved Children (1940)


33. Dodie Smith: I Capture The Castle (1949)


34. Josephine Tey: Daughter of Time (1951)


35. Elizabeth David: French Country Cooking (1951)


36. Patricia Highsmith: The Talented Mr Ripley (1955)


37. Sylvia Plath: The Colossus and Other Poems (1960)


38. Muriel Spark: The Prime of Miss Jean Brodie (1961)


39. Mary McCarthy: The Group (1962)


40. Doris Lessing: The Golden Notebook (1962)


41. Jean Rhys: The Wide Sargasso Sea (1966)


42. Germaine Greer: The Female Eunuch (1970)


43. Elizabeth Taylor: Mrs Palfrey at the Claremont (1971)


44. PD James: An Unsuitable Job for a Woman (1972)


45. Iris Murdoch: The Black Prince (1973)


46. Beryl Bainbridge: The Bottle Factory Outing (1974)


47. Angela Carter: The Bloody Chamber (1979)


48. Marilynne Robinson: Housekeeping (1980)


49. Carol Ann Duffy: "Whoever She Was" (1983)


50. Julia Donaldson: The Gruffalo (1999)




II)


Decido recuar à Grécia Antiga e encontro ajuda na Wikipédia, uma lista com poetisas: Anite de Tegea, Aristodama de Smyrna, Boeo de Delphos, Cleobulina de Rodes, Corina de Tângra, Erina, Melinno, Myro, Nóssis, Praxila, Safo, Telesilla de Argos.


Algumas consideradas uma das 10 musas vivas ou citadas pelo próprio Aristóteles, pelo que a sua relevância na época em que viveram é evidente.


 


III)


Continuo a pesquisa para tempos medievais e novamente a Wikipédia no meu auxílio. Bastantes listas e uma mera revisão dos nomes permite-me, de imediato, concluir que tenho grande diversidade geográfica.


 


Os japoneses têm uma lista de "Trinta e Seis Imortais da Poesia", apenas 5 são mulheres, embora exista uma lista composta apenas de poetisas.


 


IV)


No que respeita a prémios Nobel da Literatura, podemos recuar a 1909 para encontrar escritoras:


1909 - Selma Lagerlöf, Suécia 
1926 - Grazia Deledda, Itália
1928 - Sigrid Undset, Noruega
1938 - Pearl S. Buck, EUA
1945 - Gabriela Mistral, Chile
1966 - Nelly Sachs, Suécia  
1991 - Nadine Gordimer, África do Sul 
1993 - Toni Morrison, EUA 
1996 - Wisława Szymborska, Polónia
2004 - Elfriede Jelinek, Áustria 
2007 - Doris Lessing, Reino Unido 
2009 - Herta Müller, Roménia 
2013 - Alice Munro, Canadá


2015 - Svetlana Alexievich, Bielorrússia


 


As listas de prémios literários são uma fonte interessante para introduzir diversidade nas minhas leituras.


 


V)


Mas e em Portugal? Até quando posso recuar para encontrar escritoras? Recorri à base de dados "Woman Writers" e a primeira autora é Catarina Infanta de Portugal com "Da perfeição da vida monástica e da vida solitária". Decididamente não é um texto em que me deseje embrenhar. 


Porém, recomendo vivamente  As Cartas Portuguesas, de Mariana Alcoforado (1640-1723). 


 


Ou seja, com um bocadinho de esforço, encontra-se a inspiração. 


 


Fui fazendo uma mega lista de livros que agregava várias listas e recomendações que fui vendo ou recebendo. O resultado é este: mais de 400 livros foram escritos por mulheres.