Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

My Books News

My Books News

Escolher o lado dos justos


Era realmente meu objectivo "salvar toda aquela gente", cuja aflição era indescritível: uns tinham perdido os seus cônjuges, outros não tinham notícias dos filhos extraviados, alguns haviam visto sucumbir pessoas queridas sob os bombardeamentos alemães que todos os dias se renovavam e não poupavam os fugitivos apavorados. Quantos tiveram de inhumá-las, antes de prosseguirem na louca correria da fuga!


Mas, além desre aspecto emocionante ao máximo, que me enchia de comiseração por tanto infortúnio, outro havia para mim que não era para desprezar, o da sorte que estava reservada a tanta gente se caissem nas mãos do inimigo. (...)


Junte-se a este espectáculo o de centenares de crianças que, acompanhando os pais, participavam dos seus sofrimentos e angústias, demandando cuidados que eles, naquela situação, lhes não podiam prestar. Pensemos ainda que toda esta multidão, por falta de alojamento, dormia nas ruas e praças públicas sujeita à intempérie. (...)


Daí a minha atitude, inspirada única e exclusivamente nos sentimentos de altruísmo e de generosidade de que os portugueses, através dos seus oito séculos de história, souberam tantas vezes dar provas eloquentes e que tanto ilustram os nossos feitos heróicos. 



 


Aristides de Sousa Mendes


 


o cnsul desobediente.jpg