Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

My Books News

My Books News

Clube dos Clássicos Vivos - Moby Dick - 5 de 14

Em Agosto li Moby Dick, juntamente com as/os restantes membros do Clube dos Clássicos Vivos, moderado pela Cláudia Oliveira (A mulher que ama livros).


 


“Call me Ishmael.” ou "Chamem-me Ismael."  


 


Um dos mais famosos começos na literatura. A internet está cheia de listas com as mais memoráveis primeiras frases de grandes obras literárias. Se vos apetecer um pouco de divertimento, há um questionário (em inglês; na verdade há vários) para testar os vossos conhecimentos dessas introduções.


 


Esta simples introdução é ilusoriamente simples. Ele não diz que se chama Ismael. Diz para o tratarem por Ismael. Sobre a interpretação desta pequena frase encontrei um texto fantástico aqui. Ismael é um nome bíblico e apenas a primeira das muitas referências bíblicas que vamos encontrando na leitura da obra. Na bíblia, Ismael é o protegido de Deus, apesar de banido para o deserto; em Moby Dick, é vai navegar pelos mares, num mundo de capitães loucos, baleias e canibais.  


 


Enquanto decidia se lia ou não o livro, foi precisamente a forma como esta personagem se apresentou, que me fez querer conhecê-lo melhor:



Whenever I find myself growing grim about the mouth; whenever it is a damp, drizzly November in my soul; whenever I find myself involuntarily pausing before coffin warehouses, and bringing up the rear of every funeral I meet; and especially whenever my hypos get such an upper hand of me, that it requires a strong moral principle to prevent me from deliberately stepping into the street, and methodically knocking people's hats off—then, I account it high time to get to sea as soon as I can.