Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

My Books News

My Books News

Salgalhada de livros no meu radar

Capturar.JPG

Porque: Temos de apoiar mulheres, especialmente as que se vêm atropeladas por homens que se acham com direito a tudo. (daqui)

Editora

1.JPG

Editora / Inspiração / #asperger #ficção

Porque me interessam sempre conteúdos relacionados com Síndrome de Asperger.

9780525563648.jpg

Ok... confesso que foi o dramatismo da capa + título.

O autor foi a primeira pessoa a atingir o Pólo Sul a solo. O silêncio será o fio condutor para um livro de memórias e experiências de outros exploradores, artistas e escritores.

EditoraPT

29774026.jpg

Inspiração

 

 

Bad Blood: Secrets and Lies in a Silicon Valley Startup - John Carreyrou

1.jpg

Bad Blood: Secrets and Lies in a Silicon Valley Startup - John Carreyrou

 

Este foi ouvido pelo buzz que gerou. Foi considerado por muitos um dos melhores livros de não ficção (nomeadamente pelo Finantial Times), sobre um crime real. E preparem-se porque já está planeada uma adaptação cinematográfica com Jennifer Lawrence.

 

Em 2014, a fundadora e CEO da Theranos, Elizabeth Holmes, foi amplamente vista como a nova Steve Jobs: uma brilhante desistente de Stanford cujo negócio "unicórnio" prometia revolucionar a indústria médica com uma máquina que tornaria os exames de sangue mais rápidos e fáceis. Prometia diagnósticos diversos com apenas uma gota de sangue. Era um sonho, uma TED Talk, uma visionária, uma jovem que inspirava todos que privavam com ela.

Apoiada por investidores multimilionários, a Theranos chegou a uma avaliação de 9 bilhões de dólares.


Porém, era tudo uma fraude. A tecnologia não funcionou.

De forma absolutamente incrível e durante anos, Elizabeth Holmes enganou investidores, autoridades da FDA e seus próprios funcionários. Quando o jornalista do The Wall Street Journal, John Carreyrou, começou a fazer perguntas, tanto Carreyrou quanto o Journal foram ameaçados com ações judiciais, jornalista e testemunhas seguidas e ameaçadas. Um verdadeiro ambiente de máfia.


O jornal começou a publicar artigos sobre a Theranos a partir do final de 2015 e esse processo é igualmente fascinante - o processo de verificação editorial e jurídica que precede uma publicação é capaz de durar semanas ou meses.

Em 2017 finalmente chega o fim da fraude, com o valor da empresa a zero e Holmes a enfrentar processos criminais. Pelo meio, o suicídio de um dos seus colaboradores e vários diagnósticos errados feitos a doentes.


Uma fascinante história de como alguém consegue ludribiar, durante anos, grandes empresas (incluindo a Walgreens) e autoridades reguladoras. Entre a ganância de uns e o desejo de outros de pertencer a um momento significante e inspirador, Elizabeth Holmes galgou todos sem olhar a meios e a consequências.

 

 

 

 

 

 

Becoming de Michelle Obama

1546362909.png

Comecei o ano com um audiolivro que confesso não planeava ouvir. A autobiografia de Michelle Obama era apenas mais um livro numa longa lista de livros a ler.

 

Porém, a oferta de uma mensalidade de Scribd fez-me querer ouvi-lo na voz da própria. E que voz.

 

Posso ter sido enganada, mas todo o livro respira autenticidade, que vai dos momentos da sua infância até ao fim da presidência de Barak Obama.

 

Michelle Obama explica como a educação sempre foi um instrumento para ascender socialmente e de como os seus pais foram instrumentais para isso, mas também como os seus planos nem sempre lhe trouxeram a felicidade esperada. Há importantes reflexões sobre o que foi ser, muitas vezes, a única mulher no local de trabalho ou a única negra.

 

“If you don’t get out there and define yourself, you’ll be quickly and inaccurately defined by others.”

 

Particularmente curiosas foram as partes sobre a chegada ao meio político e as expectativas que recaiam sobre si, na qualidade de mulher de um senador e de como foi criticada por continuar a trabalhar. E de como tinham de ter cuidado com o que comiam, porque têm de pagar todas as suas despesas na Casa Branca.

 

Mas curiosidades à parte, é um testemunho de uma mulher, que por ser negra e a primeira em muitos momentos da sua vida, teve de fazer mais, teve de ser mais e teve de parecer mais.

 

Mas acima de tudo é como uma mulher inteligente e forte foi capaz de marcar o seu lugar, por mérito próprio. Os projectos que conseguiu implementar, relacionados com a obesidade infantil e o apoio a militares e seus familiares, bem como os resultados atingidos, evidenciaram uma líder notável.

 

Em suma, uma excelente autobiografia sobre uma mulher notável.

 

“For every door that’s been opened to me, I’ve tried to open my door to others. And here is what I have to say, finally: Let’s invite one another in. Maybe then we can begin to fear less, to make fewer wrong assumptions, to let go of the biases and stereotypes that unnecessarily divide us. Maybe we can better embrace the ways we are the same. It’s not about being perfect. It’s not about where you get yourself in the end. There’s power in allowing yourself to be known and heard, in owning your unique story, in using your authentic voice. And there’s grace in being willing to know and hear others. This, for me, is how we become.”