Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

My Books News

My Books News

Becoming de Michelle Obama

1546362909.png

Comecei o ano com um audiolivro que confesso não planeava ouvir. A autobiografia de Michelle Obama era apenas mais um livro numa longa lista de livros a ler.

 

Porém, a oferta de uma mensalidade de Scribd fez-me querer ouvi-lo na voz da própria. E que voz.

 

Posso ter sido enganada, mas todo o livro respira autenticidade, que vai dos momentos da sua infância até ao fim da presidência de Barak Obama.

 

Michelle Obama explica como a educação sempre foi um instrumento para ascender socialmente e de como os seus pais foram instrumentais para isso, mas também como os seus planos nem sempre lhe trouxeram a felicidade esperada. Há importantes reflexões sobre o que foi ser, muitas vezes, a única mulher no local de trabalho ou a única negra.

 

“If you don’t get out there and define yourself, you’ll be quickly and inaccurately defined by others.”

 

Particularmente curiosas foram as partes sobre a chegada ao meio político e as expectativas que recaiam sobre si, na qualidade de mulher de um senador e de como foi criticada por continuar a trabalhar. E de como tinham de ter cuidado com o que comiam, porque têm de pagar todas as suas despesas na Casa Branca.

 

Mas curiosidades à parte, é um testemunho de uma mulher, que por ser negra e a primeira em muitos momentos da sua vida, teve de fazer mais, teve de ser mais e teve de parecer mais.

 

Mas acima de tudo é como uma mulher inteligente e forte foi capaz de marcar o seu lugar, por mérito próprio. Os projectos que conseguiu implementar, relacionados com a obesidade infantil e o apoio a militares e seus familiares, bem como os resultados atingidos, evidenciaram uma líder notável.

 

Em suma, uma excelente autobiografia sobre uma mulher notável.

 

“For every door that’s been opened to me, I’ve tried to open my door to others. And here is what I have to say, finally: Let’s invite one another in. Maybe then we can begin to fear less, to make fewer wrong assumptions, to let go of the biases and stereotypes that unnecessarily divide us. Maybe we can better embrace the ways we are the same. It’s not about being perfect. It’s not about where you get yourself in the end. There’s power in allowing yourself to be known and heard, in owning your unique story, in using your authentic voice. And there’s grace in being willing to know and hear others. This, for me, is how we become.”

Lidos em 2018

 

 



Julho

42. Contos Exemplares, Sophia de Mello Breyner Andresen B
43. A Ponte Invisível, Julie Orringer B
44. Amor de Perdição, Camilo Castelo Branco E
45. Black Lace, Beverly Jenkins B
46. Harry Potter e a Criança Amaldiçoada - John Tiffany, Jack Thorne, J.K. Rowling E

Agosto

47. Armas, germes e aço, Jared Diamond B
48. Casamento de Conveniência, Georgette Heyer E
49. Malditos, Histórias de Homens e de Lobos, Ricardo J. Rodrigues E
50. Os Três Mosqueteiros, Alexandre Dumas E
51. A Casa e o Mundo, Rabindranath Tagore B

 

Setembro

52/53. O planeta dos dragões 1, 2 e 3 Anne McCaffrey (corresponde a Dragonflight + Dragonquest) E
54. Como desenhar (animais) uma galinha, Jean-Vincent Sénac FLP  
55. Auschwitz, Pascal Croci  B

56. A canção dos dragões, Anne McCaffrey FLP  
57. Bela, Cristina Silva 
58. A guerra dos mundos, H. G. Wells E
59. A doença, o sofrimento e a morte entram num bar, Ricardo Araújo Pereira B

Outubro

60. Aventuras de Sherlock Holmes 1-3, Arthur Conan Doyle E
61.Forbidden Crown, Victoria Pinder W
62. Auto-retratos do Mundo Annemarie Schwarzenbach 1908-1942,  Emília Tavares,
Sónia Serrano B
63. Estilo de sedução, Kimberly Lang E
64. Sobre reis e reputações, Carol Marinelli E
65. Memórias de Sherlock Holmes 1, 2 e 3, Arthur Conan Doyle E
66. Contas Poupança, Pedro Andersson B
67. Com esta chuva. Annemarie Schwarzenbach B
68. Armazém Central: Marie (Magasin Général #1),  Régis Loisel e Jean-Louis Tripp B
69. O Cão dos Baskervilles, Arthur Conan Doyle B
70. Book Love, Debbie Tung W
71. The Outlaw's Mail Order Bride, Linda Broday W
72. jóquei, Matilde Campilho B
73. O regresso de Sherlock Holmes 1, 2 e 3, Arthur Conan Doyle E
74. O último adeus de Sherlock Holmes 1, 2 e 3, Arthur Conan Doyle E

[#Sherlocktober = 34 contos + 1 episódio TV]

 

Novembro

75. The Feather Thief: Beauty, Obsession, and the Natural History Heist of the Century, Kirk W. Johnson W
76. Racismo no País dos Brancos Costumes, Joana Gorjão Henriques B
77. Fealdade de Fabiano Gorila, Marcello Quintanilha B
78. Hélas, Hervé Bourhis, Rudy Spiessert, Mathilda W
79. Mulheres & Poder: um manifesto, Mary Beard B
80. Guinea Pigs de Benacquista Tonino e Barral Nicolas W

81. Desperdício alimentar - Iva Pires E

82. A saga de Gösta Berling - Selma Lagerlöf E

83. SPQR – Uma História da Roma Antiga, Mary Beard E

84. Saga #1 a #4, Brian K. Vaughan e Fiona Staples W

 

Dezembro

85. Saga #5 a #9, Brian K. Vaughan e Fiona Staples W

86. The Bullet Journal Method, Ryder Carroll W

87. Lord of the Butterflies, Andrea Gibson W

88. Ainda aqui estou, Patrícia Carvalho W

89. Mulo, 1. Brittany Drizzle, textos de POG e arte por Cédrick Le Bihan W

90. Invincible, 1. Justice and Fresh Vegetables, textos e arte por Pascal Jousselin W

91. A Portuguese Christmas, Josie Riviera W

92. O Som e a Fúria, William Faulkner E

93. Moonwalking with Einstein, Joshua Foer [Audiobook]  W

94. O declínio do Império Whiting, Richard Russo

95. Águas Negras, Joyce Carol Oates B



CONTOS 
O pelicano, Edith Warton E
A mãe, Natália Ginzburg E
Um bom homem é difícil de encontrar, Flannery O´Connor E
Obras, Mary Lydon E
Davam grandes passeios aos domingos, José Régio E
E aos costumes disse nada, David Mourão-Ferreira E
Estação morta, Maria Ondina Braga E
Fotos de gatinhos, por favor, Naomi Kritzer Revista Bang, 05/2018 W
Maneki Neko, Bruce Sterling Lightspeed Magazine W
De como o mulato Porciúncula descarregou seu defunto, de Jorge Amado  B
The mark of Cain, Roxane Gay W
A telephone call, Dorothy Parker W
Bloodchild, Octavia E. Butler W

 

Leituras suspensas

O erro de Descartes, António Damásio E
Pensar, Depressa e Devagar, Daniel Kahneman B

Desisti

A pirata - Uma história aventurosa de Mary Read, pirata das Caraíbas, de Luísa Costa Gomes
Barão de Lavos, de Abel Botelho
A noiva judia - Pedro Paixão
Escrito na água - Paula Hawkins
Hibakusha, texto de Thilde Barboni e arte de Olivier Cinna




E - Estante
B - Biblioteca
W - WEB = Kindle, Scribd, Kobo, NetGalley ou outra forma online
FLP - Feira do Livro do Porto 😁

Actualizado em 29.12.2018

Águas negras - Joyce Carol Oates

É conhecido como o acidente Chappaquiddick, aquele em que Ted Kennedy, o irmão de John F. Kennedy, se despista com o seu carro, numa noite de 1969, resultando na morte da passageira.

O que à primeira vista pareceria uma história banal, tem contornos horríveis. Ted Kennedy, foi absolvido. Continuou a ser eleito como senador até sua morte em 2009.

6662181.jpg

Águas Negras de Joyce Carol Oates, começa com uma jovem narradora - Kelly Kelleher - que descreve um acidente num Toyota alugado, conduzido pelo Senador e com esta a perguntar-se: Será que vou morrer? - assim?

 

E o resto é história. E Oates conta-nos a história de uma jovem entre o desejo sexual e as expectativas sociais, em oposição a um predador casado, poderoso, muito mais velho e sem nome - durante toda a novela é apenas o Senador. Parece-me que o macabro da história real é que aqui determina a o tom unidimensional da personagem. Oates apenas quer dar voz a quem a perdeu.

 

Kelly Kelleher presa no carro, dá-nos vislumbres da sua vida e dos momentos que antecederam a sua morte. Utilizando o fluxo de consciência e asfixiantes repetições, é quase cruel a forma como Oates prolonga a morte de Kelly, suspensa pela esperança. E com ela ficamos nós, na esperança de um final diferente.

 

Com apenas 126 páginas, esta novela foi finalista do Prémio Pulitzer de Ficção em 1993. Sinto que escolhi uma excelente introdução na obra de Joyce Carol Oates.