Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

My Books News

My Books News

3 romances históricos muito diferentes

Bendita biblioteca municipal

IMG_20190201_191520_656.jpg

Apesar de apregoar que tinha excelentes ideias para ler mais livros da estante, fui à biblioteca e voltei com 5 livros.

 

Era 1 de Fevereiro, mês do Dia dos Namorados e a desculpa é: vou ler romances e pronto, lá se foram os planos para ler da estante.

 

Passei o fim de semana a ler e pouco mais fiz: 3 livros em 3 dias.

 

9789898855275.jpg

10 Segredos para Ser Seduzida por um Lorde, de Sarah MacLean

 

Eu recordo-me de ter lido Sarah MacLean e de ter gostado. Tem vários romances históricos e o título ou tem um duque, ou um lorde ou um marquês. Tinha igualmente ideia de personagens femininas fortes e de um bom sentido de humor. Não me enganei.

 

Nesta história, o lorde é Nicholas St. John, o mais cobiçado de Londres e ela é Lady Isabel Townsend, filha de um conde em desgraça que aposta a filha em mesas de jogo.

 

A premissa é muito boa. O folhetim Pearls & Pelisses publicou 10 Segredos para ser seduzida por um Lorde, e os capítulos vão começando pelas dicas e pela forma desastrosa (intencional ou não) como Lady Isabel consegue o seu oposto ou os atinge das formas menos convencionais.

 

A premissa é boa, mas infelizmente não acho que Sarah MacLean tenha sido particularmente bem sucedida. O final foi demasiado atabalhoado e não tinha de ser. Ainda assim, foram algumas horas de leitura agradáveis.

 

ber-independencia-de-uma-mulher.jpg

 

A Independência de uma Mulher, de Colleen McCullough

 

Andava com imensa curiosidade de ler este livro, por se apresentar como uma sequela de Orgulho e Preconceito (Jane Austen). Neste, vamos desconbrir a história das irmãs Bennet, com especial enfoque na vida de Mary Bennet, 17 anos depois.

 

Mary Bennet, ficou a cuidar da mãe até à sua morte, descobrindo-se solteira aos 38 anos. Mas agora é uma mulher independente, culta e com planos que chocam com os da família, que a querem relegada à situação solteirona discreta. Darcy é um crápula e Charles Bingley ganha a sua fortuna com escravos.

Infelizmente, mais uma vez, um fim atabalhoado e incoerente, com o único propósito de nos oferecer um final feliz. Porém, não é de todo uma leitura da qual me arrependa.

 

A-Magnifica-Sophy.jpg

 

A Magnífica Sophy, de Georgette Heyer

 

Guardei o melhor para o final. Tenho 3 livros desta autora para ler no meu NetGalley. Vi este e chamou-me à atenção a maravilhosa capa e um pequeno texto:

"Uma mulher formidável."

Rainha Isabel II

 

Não resisti e ainda bem porque é um romance magnífico com personagens inesquecíveis e diálogos absolutamente fantásticos.

 

A Magnífica Sophy, de Georgette Heyer consegue o que os anteriores não conseguiram: personagens a serem desenvolvidas de forma coerente, uma história coesa e um clímax final que é tonto porque toda a história o é.

 

Sophy é uma personagem inesqueível, uma debutante em Londres que viajou pelo mundo com um pai diplomata. Chega à mansão da tia com um macaco, um cavalo apropriado para uma senhora e com um papagaio.

É corajosa, inteligente, arguta, incrivelmente espirituosa (os diálogos são magníficos e hilariantes) e deixa o seu primo Charles à beira da loucura com tudo o que faz, que nunca é a coisa que uma mulher faria.

Recomendo vivamente.

3 comentários

Comentar post