Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

My Books News

My Books News

Plano de leituras para Setembro

1.JPG


 


Livros já requisitados na biblioteca municipal:


1. O livro negro, Hilary Mantel


2. 1984, George Orwell


 


2 livros a ler da minha estante, com o objectivo de depois os doar à minha biblioteca municipal - serão escolhidos conforme o que me apetecer ler nessa altura  


 


2 Livros a requisitar na biblioteca municipal (escolherei de entre os que se encontrem disponíveis):


1. Alice do outro lado do espelho, Carroll Lewis


2. Quando o cuco chama, Robert, Galbraith


3. Os maus da história de Portugal, Ricardo Raimundo


4. Os interessantes, Meg Wolitzer


5. Lugares escuros, Gillian Flynn 


6. Mein Kampf, Adolfo Hitler


 


Começo a notar que tenho de me esforçar mais, para incluir mais autores portugueses no meu menu. 

Esculptor Teixeira Lopes

Se estiverem na zona do Porto, recomendo uma visita à Casa Museu Teixeira Lopes (entrada gratuita). É um pequeno grande museu com obras extraordinárias de escultura e não só. É que além de escultor, era um ávido coleccionador de todo o tipo de objectos, de pintura (uma colecção soberba, que até inclui um quadro do Rei D. Carlos).


 


A obra do escultor está espalhada um pouco por todo o país e até pelo estrangeiro como a porta da Igreja de Nossa Senhora da Candelária, no Brasil.


 


A minha peça preferida é o estudo da estátua DOR, que me parece sintetizar a grandeza de Teixeira Lopes, a capacidade de transmitir emoções. A estátua encontra-se no Palácio de Cristal, no Porto.


 


A foto, é do incrivelmente talentoso bucolico-anonimo.


 


Mas o que deixa qualquer leitor/a entusiasmada? Poder ver as maravilhosas lombadas de cerca de 4000 livros que constituíam a sua biblioteca e a sala da literatura com diversos estudos de esculturas dos mais ilustres escritores da literatura portuguesa, alguns, cujos trabalhos finais encontrarão pelo país. Seleccionei dois que achei particularmente interessantes:



Eça e a Verdade, actualmente em Lisboa


 



O que seria o túmulo de Almeida Garrett, no Mosteiro dos Jerónimos, se não tivessem mudado de ideias e o colocado no Panteão Nacional. 

Pág. 1/12